sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Um país com as características da Guiné Bissau aprende a ser modesto,
quer queira quer não.  Os que recusam admitir a nossa dimensão
normalmente não vão longe. Podem até conquistar apoios internos e
gozar os privilégios passageiros do seu populismo,  mas serão
esquecidos tão logo se descubram os seus limites. Por outro lado os
que se mostram conscientes de que não adianta agigantar-se quando se
têm pés de barro merecem respeito. Alguns vão longe. E quando isso
acontece o regozijo é vasto, dentro e fora da nossa comunidade
guineense.
Um dos exemplos de orgulho coletivo guineense está sem dúvida
incarnado na figura de Flora Gomes. Personagem incontornável da nossa
paisagem cultural urbana,  este cineasta cedo reunião muitas condições
para ser um jovem frustrado. E, no entanto, o contrário aconteceu.
Como e porquê?
Carlos Lopes in HomenageArte

Flora Gomes e os Óculos do Sonho